08 junho 2008

Em Busca de um Namoro Cristão



Acredito que uma igreja sadia baseia-se em famílias bem estruturadas. E para existirem famílias bem estruturadas, é necessário haver santificação no namoro, que é a base para o casamento. Pessoas que colocam Deus como prioridade desde o namoro, conseqüentemente colocam também no casamento e só quem ganha é a igreja. Outro fato importante que precisa ser levado em conta é que se as pessoas não conseguem agir com lealdade, amor e fidelidade no namoro e não sabem se relacionar com pessoas que estão do seu lado, como poderão manter um relacionamento com Deus? O namoro é a base para todo tipo de relacionamento cristão: família, igreja e o relacionamento com Deus.

Mas o que é namoro? Aprendi na minha época de seminarista da Palavra da Vida que é um relacionamento (prefiro compromisso), entre pessoas de sexo oposto, não definitivo, mas que visa o casamento. Dando uma passeada na net e olhando os vários e-mails que sempre recebo de amigos, sobre diversos assuntos, recebi um muito bom. Segue anexo o texto, que eu acredito que será bastante esclarecedor. Graça e paz!

Os 10 Mandamentos do Namoro Cristão

Namoro é uma fase muito bonita. É definido como o ato de galantear, cortejar, procurar, inspirar, amar a alguém. O namoro cristão, tenha a idade que tiver, deve ser uma convivência afetiva preliminar que amadurece e prepara o casal para o compromisso mais profundo. O contrário disso, longe dos princípios de Deus, pode resultar em uma experiência nociva e traumática. Observe alguns princí­pios que ajudam a manter o seu namoro dentro do ponto de vista bíblico.

1. Não namore por lazer: namoro não é passatempo e o cristão consciente deve encarar o namoro como uma etapa importante e básica para um relacionamento duradouro e feliz. Casamentos sólidos decorrem de namoros bem ajustados.

2. Não se prenda em um jugo desigual (II Coríntios 6:14-18): iniciar um namoro com alguém que não tem temor a Deus e não é uma nova criatura pode resultar em um casamento equivocado. E atenção: mesmo pessoas que freqüentam igrejas evangélicas podem não ser verdadeiros convertidos ou não levarem um relacionamento sadio com Deus.

3. Imponha limites no relacionamento: o namoro moderno, segundo o ponto de vista dos incrédulos, está deformado e nele intimidade sexual ou práticas que levam a uma intimidade cada vez maior são normais, mas o namoro do cristão não deve ser assim, o que nos leva ao próximo mandamento.

4. Diga não ao sexo: Deus criou o sexo para ser praticado entre duas pessoas que se amam e têm entre si um compromisso permanente. É uma bênção para ser desfrutada plenamente dentro do casamento; fora dele é impureza.

5. Promova o diálogo e a comunicação: conversar é essencial, estabeleça uma comunicação constante, franca e direta e não evite conversar sobre qualquer assunto.

6. Cultive o romantismo:
a convivência a dois deve ser marcada por gentileza, cordialidade e romantismo. Isso não é cafona, nem é coisa do passado e traz brilho ao relacionamento.

7. Mantenha a dignidade e o respeito: o namoro equilibrado tem um tratamento recí­proco de dignidade, respeito e valorização. O respeito é imprescindí­vel para um compromisso respeitoso e duradouro. Desrespeito é falta de amor.

8. Pratique a fidelidade: infidelidade no namoro leva à infidelidade no casamento. Fidelidade é um elemento imprescindí­vel em qualquer tipo de relacionamento coerente à vontade de Deus, que abomina a leviandade.

9. Assuma publicamente seu relacionamento: uma pessoa madura e coerente com a vontade de Deus não precisa e nem deve lutar contra seus sentimentos ou escondê-los.

10. Forme um “triângulo amoroso”: namoro realmente cristão só é bom a três: o casal e Deus. Ele deve ser o centro e o objetivo do namoro.
Deixe Deus orientar e consolidar seu namoro. Viva integralmente as bênçãos que Deus tem para você através do namoro. E seja feliz.

“De que maneira poderá o jovem guardar puro o seu caminho? Observando-o segundo a tua palavra. De todo o coração te busquei; não me deixes fugir aos teus mandamentos. Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.” (Salmo 119:9-11 RA)